PRÉDIO DAS ÁGUAS+

Sorocaba - 2016-2020

(clique na imagem para ampliar)

UM PROJETO ÚNICO DE RESTAURAÇÃO E ARQUITETURA

Um imóvel público antigo, completamente abandonado e deteriorado, que precisava ser transformado em um novo polo de atendimento ambiental para Sorocaba e Região. Foi esse o desafio a enfrentar assim que esse terreno foi cedido para a construção do novo Prédio das Águas!

 

Após pesquisarmos bastante, e com a ajuda do Departamento de Patrimônio Histórico da Prefeitura de Sorocaba, descobrimos que se tratava de uma antiga "Packing House", ou seja, uma casa de embalagem para escoamento da produção de produtos agrícolas (principalmente laranjas) através da antiga ferrovia Sorocabana.

Por isso foi necessário tomar muito cuidado com o projeto: afinal estávamos simplesmente reformando um imóvel de valor histórico altíssimo! Esse projeto tinha que ficar bom, já que iria resgatar uma parte da própria história de Sorocaba.

"Missão dada é missão cumprida", como diz o ditado. A primeira etapa foi entender e adequar o programa de necessidades. Precisaríamos acomodar um programa extenso, com vários escritórios e salas de atendimento para os diferentes órgãos da Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo. 

Não só isso, mas também tinha que adequar o espaço para receber um laboratório completo de Análises Ambientais! Um desafio e tanto!!!

Nas fotos acima é possível ter uma noção do estado deplorável em que se encontrava o imóvel! À primeira vista, um caso totalmente perdido!

Porém, mesmo nessa primeira vistoria ainda em 2015, já foi possível identificar um grande potencial para coisas importantes que fariam o projeto se destacar na paisagem. Apesar das telhas e vidros estarem condenados, a estrutura da cobertura estava intacta e continha um desenho espetacular!

 

Além disso, a área de quase 7.000 m2 possuía muito verde e algumas espécies bem raras, como duas mangueiras centenárias e diversas outras árvores de grande e médio porte.

No vídeo abaixo é possível entender como estava o espaço interno do galpão principal. Não pudemos filmar muito à época pois havia muitas fezes de pombo, algo extremamente perigoso para a saúde humana.

Vídeo de Vistoria do Prédio das Águas

De posse destas informações, o próximo passo foi contratar o levantamento planialtimétrico e arbóreo de todo o terreno.

Com estas informações em mãos, foi possível prever com exatidão onde seriam feitas as ruas, calçadas e áreas verdes, mantendo o máximo possível da vegetação natural do terreno.

O destaque ficou para três mangueiras centenárias que ganharam lugar de destaque na nova configuração do terreno.

O desafio então foi adequar as vagas de veículos necessárias, mais a parte de circulação, à toda a vegetação existente. Outro desafio foi conseguir encaixar o programa super complexo no projeto. Nós tínhamos, além da parte de escritório e recepção, atendimentos diversos, reuniões, espaço para arquivos e um laboratório completo de análises ambientais! Nada simples!

Começamos então pela troca do telhado, visando liberar o espaço interno para construção da laje do mezanino. Feita em duas etapas, foi a fase mais demorada com certeza. Nossa sorte foi que a estrutura metálica original estava em excelente estado, necessitando somente de uma revisão. Já as peças de madeira tiveram um cuidado maior, pois estavam mais comprometidas. As telhas de amianto foram descartadas conforme as leis ambientais.

O passo seguinte foi finalizar as alvenarias estruturais e finalmente terminar a concretagem da laje. O que fizemos foi fazer o concreto em uma única etapa, dispensando assim a necessidade de contrapiso e poupando bastante tempo!

Uma das grandes dúvidas durante a obra foi como valorizar as paredes de tijolo maciço queimado ao sol, originais da época da construção. Outra dúvida grande foi, apos descascar o revestimento estragado, como proteger os tijolos?

Após vários testes, definimos uma resina que protegeu, mas ao mesmo tempo não tirou as características originais do material.

Finalizado o telhado, chegou o momento de focar 100% na parte interna. Alvenarias, pinturas, recuperação de janelas, elétrica e hidráulica vieram praticamente juntas numa sistema de uma sala de cada vez.

Tivemos atenção especial nos projetos de elétrica e mecânica, principalmente por conta dos diversos equipamentos sensíveis e específicos que seriam instalados no laboratório!

Finalizado o telhado, chegou o momento de focar 100% na parte interna. Alvenarias, pinturas, recuperação de janelas, elétrica e hidráulica vieram praticamente juntas numa sistema de uma sala de cada vez. Foi feito um sistema de reaproveitamento das águas, principalmente dos destiladores do laboratório, visando tanto economia na conta como uma melhor integração com o meio ambiente.

Tivemos atenção especial nos projetos de elétrica, iluminação e mecânica, principalmente por conta dos diversos equipamentos sensíveis e específicos que seriam instalados no laboratório!

Foram meses de projeto, instalação, e teste para deixar tudo em ordem e funcionando. Ao final, passamos para a parte de mobiliário e marcenaria.

Mais alguns ajustes, teste exaustivos em todas as instalações, e finalmente começaram as mudanças.

Um projeto extremamente longo, cheio de detalhes, ajustes, reuniões em obra, mas que atendeu tanto aos usuários, como ao patrimônio histórico. Um presente para a cidade de Sorocaba!