• Pedro Boscov

10 razões (falsas) para não levar seu sonho adiante


AVISO: texto longo (mas muito útil) à seguir:

É batata!!! Você chega e pergunta pras pessoas: “O que te impede de fazer uma mudança positiva na sua vida?”, e a resposta é invariavelmente “Tenho medo”, “Dá muito trabalho” ou “Não sei, simplesmente não consigo”

Isso vale para todos os aspectos de nossas vidas, tanto pessoais como profissionais. É a tão famosa Zona de Conforto que não nos deixa seguir adiante e melhorar o que quer que seja.

Com obras e construções não poderia ser diferente! Todo mundo morre de medo de construir e reformar, ainda mais aqui no Brasil. São muitos os obstáculos (alguns bem reais, diga-se de passagem) como receio em gastar muito ou de ser deixado na mão no meio do serviço. Se você é pessoa física então, meu Deus! Haja paciência com todos os pepinos que podem surgir até nas intervenções mais simples.

Eu entendo, acredite.

Porém, vamos refletir um pouco sobre o que significa não levar um sonho adiante por conta de idéias pré-concebidas. Vou listar aqui as 10 principais razões que entendo ser obstáculos para levar seu sonho adiante:

1) VOU GASTAR MUITO COM MINHA OBRA

Essa é clássica!!! “Não tenho todo esse dinheiro”, “Ain, vai sair muito caro!”, “Vou deixar assim mais um tempinho até juntar um pouco mais, não está tão ruim”. Afe! Toda vez que escuto essas desculpas penso somente em uma coisa: “Essa pessoa precisa urgentemente entrar em contato com um bom Arquiteto para obter informações de qualidade!”.

Se construir fosse esse bicho de sete cabeças - em termos financeiros - nós não veríamos pessoas com pouquíssimos recursos construindo a própria residência (infelizmente sem nenhuma orientação). Ou pessoas simples como a Dona Dalva, que com paciência e esforço conseguiu contratar bons Arquitetos e construir uma casa que ganhou até prêmio internacional: http://www.archdaily.com.br/br/776950/casa-vila-matilde-terra-e-tuma-arquitetos

A verdade é uma só: falta de grana NÃO É desculpa. Com criatividade, organização e MUITO planejamento é possível SIM elaborar espaços com bastante conforto e qualidade a um custo acessível!

Vai ter um investimento inicial? Com certeza! Profissionais não trabalham de graça, isso é fato. Mas no final o retorno vai ser tão grande que essa grana do começo com certeza vai parecer menos importante do que você imaginava.

Antes de passar ao próximo ponto, vou deixar uma pergunta no ar:

“O que custa caro?”

Responda pensando no preço de um iPhone, de um carro popular ou de uma calça da moda.

Agora compare com o honorário que um profissional vai cobrar para dar orientações relevantes sobre o lugar que você mora ou exerce sua profissão - ou seja, onde passa a maior parte dos seus dias descansando, se divertindo ou trabalhando.

Deixo você decidir sobre qual dessas coisas tem mais valor na sua vida.

2) NÃO SEI POR ONDE COMEÇAR

Outra questão bem comum e que desanima muita gente. Ok, temos internet e papai Google para nos orientar - mais revistas e talvez até contato com alguém da área – maaaaas, não vou negar, achar informações DE QUALIDADE demora tempo e certo conhecimento do assunto.

Eu compreendo como é frustrante estar todo animado(a) para buscar informações sobre projetos, obras e espaços novos e no final das contas deparar com uma avalanche de gente dizendo um monte de coisas ao mesmo tempo - cruzando informações diferentes que dão um nó na nossa cabeça - e muita vezes entrando em desacordo sobre coisas aparentemente simples.

Também não ajuda órgãos oficiais como CREA e CAU (ainda) não disponibilizarem ferramentas acessíveis a pessoas que não são do meio, visando um entendimento melhor das profissões na área de projetos e construção. Na minha humilde opinião é tudo muito engessado e a linguagem e formato escolhidos não favorecem uma boa divulgação de informações – pra ser sincero são difíceis até para nós que somos profissionais da área.

Dito isto, buscar informações na internet demanda tempo e paciência, porém com certeza pode trazer bons frutos. Se você está lendo este blog, sabe que busco escrever e passar as coisas de um jeito mais descontraído, contando histórias e sem muitos termos técnicos ou jargões. Meu objetivo é somente deixar as coisas mais fáceis e ao mesmo tempo passar informações relevantes.

Se isso não acontece corretamente provavelmente cairemos no próximo ponto.

3) ACHO MUITAS INFORMAÇÕES, MAS NÃO CONSIGO RESOLVER MEU PROBLEMA

Essa é uma falha geral da área de Arquitetura. Faço um mea culpa aqui pois também sofri desse mal durante muito tempo.

Entretanto, em nossa defesa, digo que esse tipo de conflito é gerado porque infelizmente nossas faculdades de Arquitetura não contêm matérias ligadas a marketing ou qualquer coisa parecida. Pra quem se interessa - e entende a importância do assunto - a gente tem que aprender na raça!

Voltando ao ponto, tenho certeza que se buscar na internet vai achar milhões de boas idéias para espaços, dicas maravilhosas para decoração e muita coisa que realmente tem a ver com o que você imagina para seu projeto. O que você não vai achar, e digo isso com absoluta certeza, é uma solução customizada para seu problema.

Entenda de uma vez por todas: seu problema é o seu problema. A solução do Zé, do João ou da Maria com certeza ficou linda e bem executada, deu uma baita foto legal na capa da revista X e todo mundo ficou feliz e maravilhado com o espaço depois de pronto.

Mas é a solução deles, para o caso deles. A sua solução ainda não foi descoberta.

E digo mais: não foi descoberta pelo simples motivo que você ainda não entrou em contato com um bom profissional para investigar e chegar num consenso sobre o que pode e deve ser feito.

4) NÃO QUERO TER QUE FAZER TUDO SOZINHO

Investigar com alguém do ramo vs investigar tudo sozinho faz MUITA diferença, tanto de tempo como de dinheiro, e com certeza vai poupar vários aborrecimentos.

Estou certo que um dos grandes medos que as pessoas enfrentam é o de contratar um monte de “profissionais” e no fim das contas, após gastarem um caminhão de dinheiro e muito tempo, ficarem na mão, totalmente frustradas e tendo que finalizar as coisas sem orientação ou suporte.

Não estou aqui para “passar um pano” ou dizer que vai ser tudo lindo e maravilhoso depois que contratar um profissional. Mas contratar um bom profissional faz sim toda a diferença. E aqui afirmo com toda certeza que não tem fórmula mágica: você vai ter que ser diligente e pesquisar bastante.

Acredite, não é suficiente contratar um profissional renomado ou bem indicado por alguém de confiança. É preciso contratar um bom profissional que se alinhe o melhor possível com as suas necessidades. Fazendo uma analogia bem tosca, é como se a pessoa tivesse um problema no coração e procurasse um ortopedista. Não tem como dar certo!!!

Portanto a melhor solução é pesquisar bastante, conversar com todos os fornecedores indicados e, se sentir que algo não está de acordo, pular sem medo para a próxima opção.

5) A MÃO-DE-OBRA ESTÁ PÉSSIMA

Sim, no geral está mesmo. Ninguém precisa me mostrar ou argumentar comigo sobre coisas que vejo no dia-a-dia da minha profissão. Porém (e esse é um porém bem grande) ainda existem sim excelentes profissionais e fornecedores na construção civil, inclusive atendendo obras menores e pessoas físicas.

Como disse no item 04, a mesma coisa vale para este tópico. A solução é ser muito chato e pesquisar bastante. Entretanto há uma pegadinha aqui.

Não adianta você ir com 100% de confiança naquele pedreiro maravilhoso que fez um banheiro na casa da sua tia se o que você precisa é reformar um apartamento de 150m2 com um projeto todo cheio de detalhes. A probabilidade dele não ter o know-how para uma obra desse porte é MUITO GRANDE, mesmo ele sendo excelente em obras pequenas. Aqui, meus amigos, vale o velho ditado que diz “cada um no seu quadrado”. Você tem que achar fornecedores que tenham o perfil certo para sua obra, e não contratar alguém só porque fulano “falou que é bom”.

É possível achar esse profissional sozinho? Claro que é. Mas pense: com um Arquiteto – ou Engenheiro - do seu lado é muito mais fácil não acha?

6) AINDA NÃO SEI O QUE QUERO FAZER COM MEU ESPAÇO

Ter uma idéia bacana é uma delícia, mas sem uma consultoria ou um projeto você realmente não vai entender qual o verdadeiro potencial do seu espaço – e os limites do seu orçamento.

Um pouco de noção básica das coisas também é necessário aqui. Mesmo não sendo especialista, tenho absoluta certeza que você sabe separar ficção da realidade.

E aqui vou fazer um contraponto ao que disse no item 01: não adianta nada achar que com R$ 10.000,00 você vai construir o sobrado dos seus sonhos - com 200,00 m2, piscina e churrasqueira - numa área nobre de qualquer cidade brasileira. Buscar um Arquiteto nessas condições é desperdiçar o seu tempo (e o do profissional). O recurso simplesmente não dá!

É bom também tomar MUITO cuidado com valores colocados em sites ou revistas “especializadas”. Dizer, por exemplo, que com R$ 600,00/m2 se constrói uma casa em São Paulo é um atentado à inteligência alheia.

Por mais que sejamos criativos, inventivos e organizados, há sempre um mínimo necessário para começar. E um bom profissional vai cobrar pelo tempo dele para investigar e descobrir junto com você qual o valor desse mínimo.

Chegando nesse valor (real) aí sim podemos considerar – num segundo momento – quais as melhores opções para esse montante render o máximo possível em termos de quantidade e qualidade do espaço.

Agora se o mínimo for mínimo mesmo, aí não tem jeito: a solução é diminuir o tamanho da intervenção ou repensar o momento de iniciar o processo (e começar um planejamento financeiro para tanto).

7) EXISTE MUITA BUROCRACIA

Sim, ás vezes existe. Mas isso vai depender de diversos fatores, como a cidade em que será feita sua obra, as leis de zoneamento de seu município, a localização de seu terreno ou imóvel (por exemplo: será que é área de proteção, tem algum manancial próximo, já foi área com alguma contaminação, é área que pode ser desapropriada pelo poder público, etc, etc).

Ok, mas vamos supor que estas coisas já estão mais ou menos claras. Assim sendo, em termos de aprovação de projeto - pra nossa sorte - as coisas estão avançando (lentamente) para a era digital e da internet.

A prefeitura de São Paulo, por exemplo, já possui um portal para preenchimento remoto das informações de aprovações de projetos de obras e reformas: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/urbanismo/licenciamentos/servicos/index.php?p=158756

Estamos com certeza caminhando para algo melhor e se sua obra é relativamente simples (como uma reforma ou residência) provavelmente não há motivo para temer que algo dê errado ou atrase seu cronograma – isso se você seguiu todos os trâmites legais e encaminhou tudo antes de começar os serviços.

8) NÃO ENTENDO NADA DE PROJETOS

Nem precisa entender! Quem tem que entender de projetos são os profissionais que estão trabalhando para você.

Porém eu imagino o medo que deve dar nas pessoas quando pegam um projeto mais técnico como elétrica, hidráulica ou luminotécnica (iluminação). E sei que deve ser muito difícil entender o porquê de uma parte do seu dinheiro estar sendo investida num monte de desenhos estranhos que parecem estar em grego. A dúvida deve ser mais ou menos essa: “Será que eu preciso de tudo isso?”.

Ainda bem que hoje em dia essa é uma dificuldade que pode ser facilmente superada por modelos em 3D que usam tecnologia BIM (basicamente Archicad e REVIT). Dentro desse modelo é possível visualizar com precisão todos os espaços planejados, com mudanças em tempo real e colocação de diversos elementos técnicos no mesmo local.

O que quero dizer é que, para nossa sorte, a atividade de passar uma idéia somente via plantas e desenhos técnicos ou esquemáticos está sendo complementada - e até substituída - por um passeio virtual pelo seu projeto. Já é realidade, apesar de ainda estar bem no início: com óculos VR é possível fazer turismo virtual pelo seu projeto usando seu próprio celular!!!

E não, o custo disso não é absurdo - muito pelo contrário. Projetar em BIM já é uma tecnologia usada por boa parte dos Arquitetos hoje em dia: é simples e acessível.

Há também a alternativa de usar maquetes físicas, onde será possível visualizar os volumes e a estética imaginados e fazer ajustes “ao vivo” no seu projeto. Dependendo do tamanho da obra e da escala da sua intervenção, pode ser sim um bom investimento.

Resumindo, não “entender” projetos não é mais desculpa!, pois a tecnologia está superando essa dificuldade.

9) VOU ACABAR GASTANDO COM O QUE NÃO PRECISO

Mais uma que é clássica!!!

Ao invés de pensar assim, pense que com um profissional você vai investir (não gastar) no que realmente é preciso. E garanto com absoluta certeza que muitas das coisas que seu projeto e obra realmente precisam só serão descobertas depois do contato com um profissional. Quer um exemplo simples?

Que tal pensar em usar iluminação natural e outros conceitos de conforto ambiental como ventilação cruzada e insuflamento para diminuir sua conta de luz (pro resto da vida!!!) e o custo de sua obra com luminárias e ar-condicionado? Se você é leigo, tenho quase certeza que nem imaginou essas coisas quando pensou no seu espaço.

Você só gasta com o que não precisa quando não planeja e deixa de usar critérios bem definidos e soluções que realmente funcionam no mundo real.

Com um bom projeto, um cronograma bem definido e uma boa planilha orçamentária, tudo que for investido vai ter um porquê. Pode acreditar: isso faz uma baita diferença!

10 TENHO ALGUÉM PRÓXIMO QUE SE DEU MAL COM UMA OBRA

Infelizmente isso é bem comum. Todo mundo já escutou aquela história de horror de um parente, amigo ou vizinho que começou uma obra cheio de sonhos e acabou com um mega abacaxi pra descascar no meio do caminho. Isso existe e infelizmente é muito comum.

Agora vamos olhar pelo outro lado usando algumas perguntas bem simples:

- Essa pessoa fez TODOS os fornecedores principais assinarem contrato, com data de entrega do respectivo serviço e penalidades?

- A obra tinha cronograma bem estudado e baseado no tamanho da obra?

- A obra tinha planilha financeira considerando todos os custos diretos e indiretos?

- O dinheiro existente para os serviços foi calculado de maneira correta e profissional?

- Foi feita escolha criteriosa de todos os profissionais e fornecedores envolvidos? Ou a obra simplesmente começou porque "tinha que" começar?

- Essa pessoa teve alguma assistência de quem tem conhecimento e trabalha na área ou tentou fazer “tudo por conta”, caindo na lábia de empreiteiros e outros fornecedores?

Se você respondeu “não” a qualquer uma das perguntas acima, provavelmente encontrou o motivo para seu conhecido ter se dado mal.

Não adianta gente: fazer obras é algo extremamente complexo, cheio de variáveis, e mesmo fazendo tudo direitinho a probabilidade de encontrar algum impasse ou dificuldade no meio do caminho é imensa!!!

Mesmo assim (na minha opinião) é um preço razoavelmente pequeno que pagamos para ter um melhor lugar para morar, trabalhar, estudar ou nos divertirmos. Basta ter critério, bom senso e contar com ajuda do(s) profissional(is) certo(s).

Você também pode conhecer um pouco mais sobre o assunto baixando meu guia “Como Contratar um Arquiteto” aqui na home page do meu site. É um bom primeiro passo para você que está começando.

É isso!

Abraços e boa obra!

#reforma #obra #arquiteto #construir #arquitetura #boaspráticas

41 visualizações