• Pedro Boscov

Energia Solar é uma boa alternativa para sua obra?


Com essa “onda verde” que vivemos nos dias de hoje, construir ou reformar sempre vai gerar aquela dúvida: “Porque não aproveitamos esse momento de quebra-quebra e usamos energia solar?”.

Não é só o apelo emocional ao “bem estar” do planeta que gera essa pergunta...um dos motivos mais usados para os defensores da idéia é que com energia solar sua conta de luz vai baixar, sendo que nos períodos em que a incidência de sol for alta, talvez seja possível até devolver energia extra ao “grid” e ganhar créditos em dinheiro da concessionária de energia (sim, ser pago pela energia a mais que você gera existe no mundo real e é bem possível de acontecer!).

Porém, será que um sistema completo de energia solar é realmente a melhor ferramenta para o seu projeto?

Antes de responder, quero deixar bem claro que sou totalmente a favor do uso desse tipo de tecnologia - em todas as edificações!

Não é só a questão da preservação do planeta ou do dinheiro economizado todo mês, mas também o fato de ser um sistema inteligente, de tecnologia simples, confiável e que – teoricamente - não depende de terceiros para funcionar.

Para nós que moramos no Brasil, infelizmente, a falta de energia é uma constante em nossas vidas. Pior do que isso: nossa rede de distribuição é altamente ineficiente e com uma tensão “na tomada” nem um pouco confiável. Só quem já teve algum aparelho eletrônico caro queimado por surtos ou picos de energia na rede elétrica de casa ou do trabalho sabe do que estou falando (muitas vezes não precisa nem cair um raio pra isso acontecer).

Assim sendo, investigar a fundo outras opções antes de decidir - ou não - pelo uso da energia solar é sempre a melhor saída quando estiver discutindo seu projeto.

PRIMEIRA PERGUNTA: QUAL SERÁ O VALOR INVESTIDO?

É preciso ter em mente que um sistema completo de energia solar vai sair com um valor inicial MUITO MAIS ALTO que um sistema 100% tradicional.

Óbvio que não tenho como discutir aqui valores exatos ou pormenores de projeto, visto que cada caso é um caso. Mas posso afirmar que o valor de um sistema completo vai sim comer boa parte de seu orçamento inicial, não importando o tamanho ou escopo do seu projeto. Pessoalmente, adoraria que fosse um sistema barato e acessível a todos – principalmente às pessoas de baixa renda, que habitam em áreas rurais ou em locais longe dos centros urbanos. Entretanto, como estamos lidando com o mundo real – com o perdão do trocadilho – não dá pra tapar o sol com a peneira.

Então, por mais que me doa dizer isso, se formos abordar a questão somente em virtude do valor investido inicialmente, um sistema de energia solar tem que ser tratado como um item extra em seu orçamento.

É POSSÍVEL RECUPERAR O VALOR INVESTIDO AO LONGO DO TEMPO?

Essa é a principal bandeira de quem defende ou vende sistemas de energia solar. Como disse um pouco antes, sim é possível economizar na conta de luz; e quem sabe até receber um dinheiro com a energia extra que você gera. A grande controvérsia fica em torno do tempo gasto para o sistema “se pagar”.

E é aqui que mora o perigo. A maioria das projeções fala em 7, 8, 9 anos, o que torna esse sistema atraente em alguns casos para ser instalado em imóvel próprio ou mesmo num comércio. O que geralmente não é levado em conta são alguns fatores extremamente importantes:

- manutenção do sistema: placas solares perdem a eficiência ao longo do tempo, precisando ser substituídas. O mesmo ocorre com um equipamento chamado inversor (que funciona como uma “chave” que troca a energia solar de corrente contínua para corrente alternada). Apesar de serem elementos duráveis e com vida útil de aproximadamente 15 anos ou mais, é um custo alto a ser considerado no momento da troca.

- tamanho do imóvel e consumo mensal: Vamos supor que seu imóvel é pequeno, que você mora sozinho e passa a maior parte dos seus dias trabalhando fora. Sua conta de luz não passa de R$ 70,00 por mês, por exemplo. Supondo que você consiga economizar em média 80% deste valor com seu sistema de geração solar, sua conta sairia por aproximadamente R$ 14,00/mês. Porém como cada concessionária e regiões têm seu valor mínimo, ou seja, o valor cobrado para “manutenção” do sistema, vamos arredondar esse valor para R$20,00 (só por curiosidade, por conta desse mínimo exigido, sua conta de luz nunca vai ser zero).

Fazendo uma conta de padaria, em um ano você economizou R$600,00, o que é uma boa grana! Porém, um sistema básico para residência hoje não deve sair por menos que uma dezena de milhares de reais. Supondo que esse valor seja R$12.000,00, e ignorando tanto a manutenção do sistema quanto a correção da inflação na conta de luz, esse sistema seria pago somente em 20 anos!!!

- tempo de “estadia” no imóvel: se você tem um imóvel de veraneio que fica vazio 80% do tempo, será que vale a pena investir num sistema de economia de energia, mesmo que este sistema gere “créditos” na sua conta de luz nos períodos onde não há consumo? (lembre-se que ainda assim você vai pagar o mínimo todo mês).

- tempo de moradia no imóvel: Se você tem um imóvel que sabe que será trocado 1) quando sua família crescer ou 2) quando seu comércio expandir em um prazo curto, de 4-5 anos por exemplo, será que é inteligente construí-lo ou reformá-lo aumentando consideravelmente o custo inicial, gerando um item extra que talvez não consiga um diferencial de preço na hora da venda?

São perguntas que tem que ser feitas ANTES da tomada de decisão de instalar um sistema de energia solar.

AQUECIMENTO SOLAR VS ENERGIA SOLAR

Incrível como muita gente ainda confunde! Em termos simples: aquecimento solar basicamente é o aquecimento de água fria sem uso de energia elétrica ou a gás.

Isso significa que seu chuveiro, piscina ou aquecedor no quarto serão aquecidos pela energia gerada pelo sol e convertida em calor através de um equipamento específico para este uso.

Vale lembrar que no aquecimento solar as tomadas e a iluminação da sua casa continuarão funcionando normalmente através da energia externa fornecida pela rede.

É um ótimo sistema para economia de itens com alto consumo de energia, como chuveiros ou aquecedores elétricos, tendo ainda o diferencial de ter um valor inicial bem menor que a energia solar.

COMO ECONOMIZAR NA CONTA DE LUZ SEM INSTALAÇÃO DE ENERGIA SOLAR

Ok, você avaliou todas as opções, pesquisou e decidiu pela não instalação do sistema de energia solar. Como então conseguir uma economia na sua conta de luz?

1. Distribuição adequada dos circuitos de energia

Distribuir adequadamente os circuitos elétricos nos ambientes projetados tem um impacto monstruoso na redução das contas de luz! Quanto maior a área do projeto, mais esse impacto será sentido.

2. Dimensionamento adequado da iluminação

As pessoas focam muito na troca de lâmpadas incandescentes por fluorescentes ou LED (o que com certeza ajuda na diminuição do consumo), mas esquecem de que um bom projeto de luminotécnica vai com certeza reduzir o desperdício, principalmente em lugares onde as luzes ficam acesas a maior parte do tempo (como lojas de varejo, por exemplo). Á propósito, em poucos anos só veremos lâmpadas de LED à venda no varejo. É a tendência e em alguns países já é realidade.

3. Troca das lâmpadas ou luminárias ineficientes

Aqui não digo somente lâmpadas que gastem muito, mas toda e qualquer lâmpada ou luminária que tenha uma tecnologia ultrapassada e ineficiente.

4. Uso de técnicas de conforto ambiental de arquitetura em projeto

Ventilação cruzada, brises, elementos vazados, troca de calor entre solo e materiais do imóvel, entre outros, são soluções que reduzem o uso tanto de iluminação artificial quanto de ar-condicionado, o que por definição vai reduzir também sua conta de luz.

CONCLUSÃO

Então é isso! Por mais que eu defenda e goste da alternativa, usar energia solar ainda tem um impacto muito grande no orçamento de uma reforma ou construção. Com certeza deve ser algo pensado com calma e discutido a fundo com seu arquiteto ainda na fase de investigação das possibilidades de projeto.

Abraços e boa obra!


10 visualizações